Poucas coisas são mais imprevisíveis do que um jogo de Wild Card na MLB. A temporada inteira funciona como série, do primeiro jogo da campanha regular até a World Series. Mas essa fase, em específico, da temporada, coloca dois times de frente em que nove entradas definirão quem passa ou não para os playoffs.

Nesta terça (3), às 20h, New York Yankees e Minnesota Twins se enfrentam no Yankee Stadium. Após ter vencido 91 jogos na temporada regular, os Yankees estão com o mando de campo, tiveram melhor campanha diante dos Twins e chegam com mais vantagem em praticamente todos os setores.

(Jogo terá transmissão da ESPN, a partir das 21h.)

Luis Severino x Ervin Santana

As vezes penso que Severino é até underrated pela excelente temporada que teve e poucas pessoas noticiam o fato. Após falhar miseravelmente como abridor no ano passado, o dominicano deu a volta por cima de maneira épica em 2017 para se colocar como o terceiro melhor abridor da Liga Americana na temporada (atrás só de Corey Kluber e Chris Sale).

Severino está descansado e teve um excelente mês de setembro, o que indica que o cansaço e acumulo de fadiga, geralmente comum em abridores de 23 anos no fim da temporada, passa longe para o destro. Ele é o novo ace dos Yankees, e terá a chance de provar isso com estilo hoje à noite.

Uma vantagem é que Severino tem o apoio de um excelente bullpen. Dellin Betances, David Robertson e Aroldis Chapman foram perfeitos nas últimas duas semanas da temporada regular e chegam em excelente forma.

Severino, que já foi reliever, provavelmente jogará seu máximo por cinco ou seis entradas, e deixar que o fortíssimo bullpen dos nova-iorquinos tome conta do recado.

Santana é um jogador mais pragmático, porém efetivo e muito resistente. Ele completou cinco jogos na temporada, de longe a maior marca do ano.

Santana vem na melhor temporada da carreira (Getty Images)

Após um começo de temporada fantástico em que liderou a rotação dos Twins como um dos melhores abridores da liga, Santana caiu de produção na segunda metade do ano e viu seu ERA aumentar. De qualquer forma, em uma rotação nada impressionante, ele é o jogador mais seguro do quinteto.

Batalha de bullpens tem um vencedor incontestável

O bullpen dos Twins está longe de ser impressionante. Nesta temporada, foi mediano em praticamente todas as categorias. Além disso, Brandon Kintzler, que era o fechador da equipe, foi negociado na trade deadline para o Washington Nationals.

Sem Kintzler, o nada impressionante Matt Belisle, com seu ERA de 4,03 no ano, é o fechador que Minnesota tem utilizado na maior parte do tempo. Se Belisle é o reliever ace dos Twins no momento, já dá para ter uma noção de como o time precisará que Santana vá longe na partida (pelo menos sete entradas).

Já o bullpen nova-iorquino é montado nos moldes do Kansas City Royals dos tempos áureos. Tommy Kahnle, Robertson, Betances e Chapman estão jogando no modo automático e garantindo muitas entradas sem susto para os Yankees.

Chapman está na melhor fase desde que chegou aos Yankees (Getty Images)

Além de ter uma classe elite no bullpen, a fase dos relievers dos Yankees, como mencionado antes, é algo excelente para o time e todos os relievers estarão disponíveis em força máxima hoje à noite.

No ataque, a vantagem também é dos Bombers

Nos últimos 30 dias, o ataque dos Yankees lidera a liga em OPS, enquanto os Twins estão na quarta posição nesse mesmo período. O problema para Minnesota, no entanto, é que Miguel Sanó, melhor rebatedor de força do time, não está disponível nesse jogo de Wild Card.

Sem Sanó, Minnesota perde muito. Enquanto isso, Aaron Judge vem destruindo beisebolas no mês e outros jogadores, como Jacoby Ellsbury e Todd Frazier, também estão em excelente fase.

Todd Frazier se encaixou muito bem no lineup dos Bombers (AP)

Para completar, jogando em casa no ano, os Yankees estão com a segunda melhor marca da liga em wRC+, com 115, atrás apenas do Houston Astros. É difícil imaginar esse time passando em branco ou algo perto disso hoje.

A chave para os Yankees

Trabalhar a contagem desde cedo e forçar uma saída curta de Santana na partida. Se ele não passar da quinta entrada, isso vai ser uma vitória para os nova-iorquinos, que precisam do bullpen de Minnesota em campo desde cedo.

Se isso acontecer, os Yankees provavelmente conseguirão capitalizar contra os relievers dos Twins e colocar um passo e meio na série de divisão.

A chave para os Twins

No lado de Minnesota, o melhor é fazer justamente o oposto dos Yankees no ataque, ou seja, ser agressivo desde o primeiro arremesso. Severino está em grande fase, mas as cinco primeiras entradas vai ser a chance em que o time terá mais oportunidade de anotar corrida.

Se o time conseguir ser agressivo contra Severino e conseguir algumas corridas logo de cara, eles provavelmente não ficarão com a obrigação de capitalizar contra o bullpen dos Bombers.


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts