Entre os dias 12 a 14 de junho, a MLB realizará o draft desta temporada. Mais de mil jogadores esperam ser escolhidos neste recrutamento num dos eventos mais importantes do calendário letivo do melhor beisebol do mundo.

Como parte da programação especial para o draft, neste ano trazemos uma lista especial com os 30 melhores prospectos da classe. E para lhe introduzir sobre como funciona esse ranking da Casa do Beisebol, abaixo seguem as explicações e o glossário antes da lista começar!

Posts sobre o draft

Reta final da NCAA com 16 times em busca do título: confrontos e um favorito
Em todos os detalhes, entenda como funciona o draft da MLB
Quase mil times e porta de entrada no draft: conheça como funciona o beisebol universitário
102 milhas, 17 anos e uma mistura de Syndergaard com A-Rod. Esse é o novo mito do beisebol
Conheça os melhores prospectos do universitário para o draft 2017

Como nosso ranking é definido?

Quem acompanha o nosso trabalho desde os tempos de Spinball Net, já está familiarizado com o sistema de ranking dos prospectos. Mas aos novatos no site, vale uma introdução fundamental sobre o assunto.

Para compor essa lista, e julgar quais prospectos eram os melhores (e portanto foram classificados melhores) e quais acabaram sendo deixados de fora, usamos principalmente quatro critérios:

a) Potencial – Esse é talvez o mais importante. O que importa para qualquer time não é o que esses jogadores são hoje, quando ainda nem estão contribuindo nas ligas menores. O que importa é o que esses atletas serão quando atingirem esse estágio, e ainda mais, o quão bom eles podem ser depois que chegarem na MLB. Se um jogador tem, por algum motivo, chances realistas de ser um candidato a MVP em algum ponto no seu futuro, pode ter certeza que isso vai ser ótimo para seu valor.

b) Realização – Em outras palavras, o quanto do jogo desse jogador é uma certeza já realizada? Potencial é ótimo, mas o quanto desse potencial vai ser realizado de um jogador é uma incógnita. Quanto mais longe no seu desenvolvimento estiver e quanto mais perto de atingir um nível aceitável esse jogador vai estar, maior será o que já sabemos sobre ele, mais perto de contribuir na MLB estará, e menor vai ser a incerteza em torno do seu futuro. Isso é importante.

c) Risco – Isso está um pouco contido em “realização”, mas pode assumir diferentes formas. Um jogador com grande potencial, mas ainda muito cru e longe de atingi-lo, oferece um risco considerável para a organização pois se seu desenvolvimento não ocorrer como esperado, ele não vai ter muito valor para oferecer nesse “pior cenário”. Da mesma forma, um jogador avançado e muito próximo das grandes ligas já nesse estágio oferece um risco muito menor de fracasso. Risco também pode aparecer sobre outras formas: risco de lesões (para jogadores que tem dificuldade em ficar saudáveis ou que estão vindo de uma contusão séria recente e ainda apresentam dúvidas sobre sua recuperação), risco de personalidade que possa atrapalhar uma carreira, e tudo mais.

d) Posição – É um simples fato, mas algumas posições são mais valiosas que a outra, seja pelo seu papel defensivo maior, seja pela sua relativa escassez nas ligas maiores. Isso é importante na hora de determinar o valor desses jogadores.

Glossário

Esse glossário é para explicar os ternos e siglas usados nesse especial. Se você já sabe, pode ir direto para a próxima seção e descobrir quais são os melhores prospectos do draft. As abreviações e termos usados são:

AVG – Aproveitamento no bastão. Conta quantas as idas de um jogador ao bastão renderam rebatidas.
OBP – Porcentagem em base. Mostra qual a porcentagem de idas ao bastão que o jogador chegou salvo em base.
SLG – Slugging. É uma medida de força, quantas bases totais um jogador consegue por ida ao bastão.
HR – Home Runs
ERA – Número de corridas que um arremessador cede a cada 9 entradas de jogo

Sobre posições

C – Catcher
1B – Primeira base
2B – Segunda base
3B – Terceira base
SS – Shortstop
OF – Jogador do campo externo
LF – Joga no lado esquerdo do campo externo
RF – Joga no lado direito do campo externo
CF – Joga na parte central do campo externo
Pitcher – Arremessador
RHP – Arremessador destro
LHP – Arremessador canhoto
Bullpen – Arremessador que não é titular, que vem do banco durante os jogos

Vamos ao ranking:

 

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts