Soberano! Marília vence o Medicina USP e é o Campeão da Taça Brasil

A Taça Brasil tem um novo, “velho”, campeão. Na finalíssima, disputada nesse domingo (17) no Estádio Mie Nishi em São Paulo, o Marília venceu com propriedade o Medicina USP por 14 a 4 e conquistou o bicampeonato do torneio.

Liderança desde o início

O elástico placar do jogo mostra, em boa parte, o que foi a final do torneio mais importante do beisebol nacional. O Marília começou bem o jogo, liderando o placar na primeira metade do jogo, mas sem sobras.

O placar foi aberto pelo time do interior paulista logo na primeira entrada. Pedro Okuda, capitão do time, anotou a primeira corrida, impulsionado por Allan Fanhoni. Na sequência foi a vez do cubano Juan Muniz chegar ao home plate, impulsionado por Fábio Murakami. O prejuízo poderia ter sido maior, já que o turno ofensivo acabou com bases lotadas.

Na entrada seguinte Marília ampliou a vantagem com a corrida de Rafael Parra. Até aí, Fernando Koga vivia partida tranquila no montinho, ao contrário dos arremessadores do Medicina USP, que nessa altura do jogo já havia trocado Fernando Oba, abridor, pelo cubano David Barriel.

Momento de equilíbrio

A terceira entrada marcou primeira corrida do Medicina USP. Com dois jogadores em base, Marcelo Kohara impulsionou Leandro Kirihara ao home plate. Porém a entrada acabaria com o próprio Kohara sendo eliminado na segunda base.

A mais equilibrada e cheia de corridas foi a quarta entrada. Três corridas para cada um, deixando o placar em 6 a 4.

Marília colocou logo de cara os dois primeiros rebatedores em posição de anotar corrida. O terceiro no alinhamento era Muniz. O jogador fez bem o seu trabalho, impulsionando a corrida de Okuda. Felipe Burin, impulsionado por Vitor Ito, e o próprio Ito, impulsionado por uma rebatida dupla de Murakami, anotaram as outras duas corridas.

Na parte baixa da entrada o Medicina USP igualou o marcador da entrada. Primeiro com um monstruoso home run de Rodrigo Kanashiro no campo central externo, que impulsionou a corrida de Shinji Shimozato. A terceira corrida veio com Daniel Chibana, se aproveitando de um wild pitch de Thiago Yaginuma, que acabara de entrar.

Domínio e festa

A quinta entrada passaria em branco pelos dois times, mas na sequência Marília voltaria a deslanchar e não ceder mais nada ao adversário.

Na sexta entrada Muniz impulsionou Burin e depois, se aproveitando de um wild pitch, completava a oitava corrida de Marília. A sétima entrada começou com Márcio Takashima no montinho do Medicina. Foi dele o arremesso para o home run de duas corridas de Luiz Paz. Vitor Trindade foi para o montinho, mas depois de dois walks e um hit-by-pitch, foi substituído por Orlando Cabrera.

Cabrera começou bem com um strikeout, mas com a herança de bases lotadas não conseguiu segurar o ataque adversário. Cedeu a rebatida para Ito, que impulsionou as corridas de Okuda e Burin.

Após uma oitava entrada sem novas corridas, o Marília ampliou o placar com mais duas corridas na nona. A primeira em outro home run monstruoso, dessa vez batido por Muniz. A última corrida viria com Ramon Ito, impulsionado por Rodrigo Tsuhako.

Coube a Igor Januário, que havia substituído Heitor Tokar na entrada anterior, a tarefa de ir ao montinho e fechar o jogo. Sem muitos sustos, Januário fez o seu papel com a ajuda da defesa, encerrando a partida com uma eliminação por boa aérea. Festa para Marília!

Festa do bicampeão Marília (Foto Vinicius Farias/Agência Interbase)

Gecebs fica com o 3º lugar

Dominando praticamente todo o jogo, o Gecebs voltou a mostrar o bom jogo coletivo que apresentou durante o ano e garantiu a terceira posição ao bater o Atibaia por 8 a 3.

O time de Arujá abriu o placar apenas na terceira entrada, com quatro corridas, depois ampliou a vantagem com corridas nas três entradas seguintes. Destaque para o home run de duas corridas de Elson Nishimura e para o excelente trabalho de Cláudio Matumoto no montinho, garantindo sete entradas sem ceder corridas.

Na oitava entrada o Atibaia esboçou uma reação com as três corridas anotadas na entrada. Mas a reação ficou por aí e Igor Kimura, relevo do Gecebs, voltou para a nona entrada e fechou o jogo com um strikeout.

Cláudio Matumoto teve bom desempenho no montinho do Gecebs (Foto Vinicius Farias/Agência Interbase)


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.