O conceito de valioso nos esportes americanos é duvidoso, principalmente quando é hora de decidir o MVP (Most Valuable Player) da liga. Alguns gostam de enxergar apenas a qualidade do jogador como fator comparativo, enquanto outros analisam coisas que vão além da qualidade do atleta, como desempenho de vitórias-derrotas da equipe e importância do jogador para o time.

Olhando pelo conceito de valioso como aquele tipo de jogador que é crucial para o sucesso de um bom time, Shohei Ohtani já pode ser classificado como um dos mais valiosos da liga — talvez um dos 10 mais da MLB. É simples assim: para o Los Angeles Angels brilhar em 2018, ele precisa corresponder as expectativas do fenômeno japonês que foram construídas.

Jogar na American League é o encaixe perfeito para Ohtani, e isso foi um fator decisivo para ele escolher os Angels — na mesa final, ficou entre Los Angels Dodgers, San Diego Padres, Chicago Cubs e Texas Rangers. Com o time californiano, ele vai ter a opção de jogar como um membro fixo da rotação — provavelmente atrás de Garrett Richards e Matt Shoemaker, pelo menos no início — e atuar como rebatedor designado nos jogos em que até mesmo for o titular (assim deslocando Albert Pujols para a primeira base).

Os Angels conseguiram ter uma boa temporada decente em 2017, alguns momentos sonhando com pós-temporada mesmo com um elenco cheio de falhas e com Mike Trout sofrendo com contusão por algumas semanas. Para 2018, eles precisam do melhor de Ohtani no montinho e no bastão, e o japonês tem ótimas credenciais para tal, apesar de não ter atuado com frequência nas duas frentes em 2017 — ficou muito tempo afastado por contusão.

Caso Ohtani fique saudável, ele tem a responsabilidade de ressuscitar o desempenho de rebatedor designado dos Angels (ele também pode jogar de OF, mas esse setor está fechado com Trout, Kole Calhoun e Justin Upton). Em 2017, com Albert Pujols decadente, os Angels ficaram na lanterna entre os rebatedores designados em WAR (-2,0) e penúltimo em wRC+ (78). Não é preciso muito para melhorar isso, e se Ohtani conseguir se destacar com a força que tem no bastão, vai preencher essa coluna.

Shohei Ohtani vem para ser o primeiro japonês no elenco dos Angels (AP)

No montinho, Ohtani provou ser um dos melhores da liga japonesa em 2016 e provavelmente só o seu talento arremessando o colocaria como um jogador cobiçado pelos times da MLB. E a rotação titular foi um problema crônico dos Angels na última temporada, com o quinto pior ERA da Liga Americana (4,38), quinto pior em entradas arremessadas e terceiro pior em WAR (5,5). Richards, o teórico ace da franquia, teve mais um ano baleado por lesões, enquanto os modestos Ricky Nolasco e JC Ramirez foram os abridores com mais jogos no quinteto titular.

Projetando a rotação dos Angels para o próximo ano, Richards, Shoemaker, Ohtani, Ramirez e Tyler Skaggs está longe de ser uma das melhores do beisebol, mas a presença do japonês, caso saudável, pode adicionar uma estabilidade que esse quinteto não tem há tempos.

Mesmo se Ohtani não virar um fenômeno-aceslugger já na próxima temporada, ele traz uma esperança gigantesca para essa franquia que não tem uma boa categoria de base e que, antes da chegada do japonês, carecia de jogadores com potencial além de Trout. Aos 23 anos, Ohtani tem tudo para ficar nos Angels por muito tempo e se desenvolver em um jogador extremamente relevante na liga.

Ele ainda não pisou em campo sequer em treinamento pelo time de Anaheim, mas vem com uma carga de responsabilidade muito grande e com o peso de melhorar duas áreas defeituosas em um time que vai brigar por vaga na pós-temporada. Além de ser alcunhado como um fenômeno e jogador two-way mais impressionante desde Babe Ruth, Ohtani, antes de tudo, vai precisar preencher as lacunas do elenco dos Angels.

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts