Neste sábado (16), o beisebol nacional conheceu os finalistas de seu torneio mais importante, a Taça Brasil. Dois grandes jogos, realizados no Estádio Mie Nishi, na capital paulista, mostraram o bom nível dos times envolvidos na disputa.

Atibaia e Medicina USP em um dos jogos semifinal, Marília e Gecebs no outro jogo, presentearam os espectadores presentes no estádio e também pela internet, já que os jogos foram transmitidos ao vivo.

Medicina USP 7 x 6 Atibaia

Favorito a classificação para a final, já que obteve a melhor campanha na primeira fase, o Atibaia sucumbiu ao bom conjunto do Medicina USP. Orlando Cabrera, abridor do Medicina, teve ótimo trabalho no montinho, segurando o ataque adversário, principalmente nas seis primeiras entradas.

No ataque, o time começou bem o jogo, abrindo o placar logo na primeira entrada com a corrida anotada por Marcelo Kohara, impulsionado por Leandro Nakano. Na entrada seguinte o placar foi ampliado com duas corridas anotadas após um bunt de Daniel Chibana, ajudado pela defesa adversária. Rodrigo Kanashiro e Getúlio Shinji anotaram as corridas. Ainda na segunda entrada, Chibana novamente, ampliaria para quatro corridas a vantagem.

Atibaia anotou sua primeira corrida na parte baixa da quarta entrada. Kazuo Takayama se aproveitou de um wild pitch para diminuir a desvantagem. Apenas na sexta entrada o placar voltaria a se movimentar.

Primeiro com o Medicina, que anotaria novamente três corridas em uma entrada, quando Vitor Souza já havia saído e Erick Yagimuna ocupava o montinho de Atibaia. Kanashiro, Shinji e Chibana anotaram as corridas. Na parte baixa da entrada, Atibaia anotou a segunda corrida do jogo, com Lucas Rojo sendo impulsionado por Takayama.

Orlando Cabrera teve grande desempenho nas primeiras seis entradas (Foto: Vinicius Farias/Agência Interbase)

A partir da sétima entrada Atibaia pôs pressão no ataque. Assim como o adversário anotou três corridas na parte baixa da entrada. Cauê Koizumi após erro defensivo, Arthur Oliveira e Felipe Tanaka, impulsionados por Caio Benedito anotaram as corridas.

Na oitava entrada, já com Henrique Tamaki no montinho do Medicina, Atibaia deixou o placar por uma corrida, quando Rodney Medeiros completou a corrida, após chegar em base com uma rebatia dupla.

Com Leonardo Villas Boas no montinho de Atibaia, o time tomou poucos sustos no turno defensivo, levando o jogo para a decisiva nona entrada, com uma desvantagem mínima no placar. E por muito pouco a nona entrada não foi a última do jogo.

Atibaia colocou dois jogadores em base, Tamaki andou Rojo, deixando as bases lotadas e apenas um eliminado. A tática surtiu efeito. Takahiro Ohashi entrou como pinch hitter, conseguiu a rebatida, mas em um lance muito rápido, a defesa do Medicina conseguiu a dupla eliminação e fechou a emocionante semifinal.

Gecebs 1 x 6 Marília

A segunda semifinal reservava a reedição da final da Taça Brasil de 2016. Gecebs querendo a revanche e o terceiro título do ano e o Marília na luta para conquistar o bicampeonato. O cenário era o mesmo, mas o andamento foi bem diferente e terminou com a vitória do Marília, que dominou o jogo e se aproveitou dos erros dos jogadores do Gecebs em base.

A segunda semifinal reservava a reedição da final da Taça Brasil de 2016. Gecebs querendo a revanche e o terceiro título do ano e o Marília na luta para conquistar o bicampeonato. O cenário era o mesmo, mas o andamento foi bem diferente e terminou com a vitória do Marília, que dominou o jogo e se aproveitou dos erros dos jogadores do Gecebs em base.

Felipe Fukuda, abridor de Marília, fez um jogo seguro nas 7.2 entradas em que esteve no montinho, dando tranquilidade ao forte ataque, que abriu o placar logo na parte baixa da primeira entrada. Pedro Okuda anotou a corrida após wild pitch no arremesso de Kenny Rodriguez, abridor do time de Arujá.

O Marília ampliaria o placar na terceira entrada com Vitor Coutinho, impulsionado por Juan Muniz. Na entrada seguinte o placar praticamente ficava definido. Allan Fanhoni anotou a primeira das três corridas da entrada e depois, com Fabio Murakami em base, Iago Januário e um home run de duas corridas, deixava o placar com vantagem de cinco corridas.

Momento do home run de Iago Januário (Foto: Vinicius Farias/Agência Interbase)

Mesmo cometendo erros com jogadores em base, principalmente no roubo de base, como na parte alta da quarta entrada, quando numa tentativa frustrada de roubar o home plate o time fechou a entrada com jogadores em base, o Gecebs chegou a sua única corrida na quinta entrada, através da velocidade Felipe Mizukozi, impulsionado por Lucas Moya.

Na parte baixa da sexta entrada, Marília deu números finais ao placar com a corrida de Paz, impulsionado por Murakami.

Já com Hugo Kanabushi no montinho de Marília, o Gecebs voltou a pressionar no ataque, na oitava e principalmente na nona entrada, mas cometeu erros em base novamente e deixou o campo com a derrota.

Todos os jogos acontecem no estádio Mie Nishi, na região do Bom Retiro, na capital paulista.


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.