Em 1976, foi estabelecida a free agency na MLB. Uma revolução para os esportes americanos, então com aquela novidade os jogadores passaram a ter a opção de escolher para qual time jogar após seis anos de contribuição nas ligas maiores — antes, o time tinha controle contratual do jogador por toda carreira. Durante 40 anos, o New York Yankees foi o rei da offseason. Dos 15 maiores contratos da história, cinco foram distribuídos pelos nova-iorquinos. Mas os tempos em que os Yankees dominam a free agency com autoridade estão no passado. E muito disso tem a ver com as normas impostas pelo último contrato trabalhista da MLB (alcunhado de “CBA”) acordado entre os jogadores, donos e liga.

O último CBA, assinado em 2016, mudou muita coisa referente a free agency. A principal mudança foi a mão pesada para equipes que ultrapassarem o teto salarial da liga. Quem ultrapassa, sofre as consequências do luxury tax (imposto de luxo, ao pé da letra). Abaixo, está a tabela com o teto salarial de cada ano até o término do atual contrato trabalhista.

Ano

Valor

2017

195M
2018

197M

2019

206M

2020

208M

2021

210M

Atualmente, nenhum time está acima desses US$ 197 milhões permitidos. No entanto, quatro times (Boston Red Sox, San Francisco Giants, LA Dodgers e New York Yankees) estão bem próximos de ultrapassarem essa marca.

De acordo com a MLB Network, assim está a folha salarial dessas equipes para 2018:

Time

Folha salarial 2018

Yankees

181M

Red Sox

191M

Giants

187M

Dodgers

182,7M

Máximo teto

197M

Porque esse times “não podem” assinar com um free agent elite

A MLB Network fez uma simulação muito interessante sobre o caso dos Yankees, que estão bem próximos de ultrapassar o teto salarial. Supondo que os nova-iorquinos assinem com Jake Arrieta por seis anos/US$ 150 milhões, isso traria muitas implicações para o futuro financeiro deles. A situação contratual de Arrieta nos Yankees ficaria assim:

  • Valor inicial: US$ 150 milhões
  • Valor total (com multas): US$ 228,6 milhões
  • US$ 78,6 milhões em multas ao decorrer do contrato
  • Yankees perderia as escolhas de 2ª e 5ª rodada no draft de 2018
  • Yankees perderia US$ 1 milhão na free agency internacional

Algo muito simular em termos de multas aconteceria com os Giants e Dodgers, por exemplo, caso eles assinassem com Arrieta por um contrato parecido. Isso, naturalmente, tem travado a free agency em um nível histórico. Até o momento, por exemplo, nenhuma equipe assinou por pelo menos quatro anos com nenhum jogador.

Um free agent elite agora + Bryce Harper em 2019? Loucura

A MLB Network também fez uma simulação caso os Yankees assinem com Arrieta agora e Bryce Harper no fim desta temporada por, hipoteticamente, 10 anos/US$ 400 milhões. Caso isso acontecesse, esse seria o cenário do contrato de Harper nos Pinstripes:

  • Valor inicial: US$ 400 milhões
  • Valor total (com multas): US$ 714 milhões
  • US$ 314 milhões em multas ao decorrer do contrato
  • Yankees perderia a escolha mais alta no draft de 2019
  • Yankees cairia em 10 posições no draft de 2019 (em todas as rodadas)
  • Yankees perderia US$ 1 milhões na free agency internacional

Isso torna praticamente inviável a contratação de um free agent elite em dois anos seguidos. Isso força com que dirigentes de Yankees, Red Sox e Dodgers sejam cautelosos e calculistas. Numa free agency de 2019 que tem tudo para ser histórica, faz muito mais sentido deixar o ímpeto passar agora para investir lá na frente.

Economia gigante se ficar abaixo do teto salarial em 2018

Supondo que Harper assine com Yankees, Red Sox ou Dodgers em 2019 e nenhum desses três times fique acima do teto salarial neste ano, isso giraria uma economia gigantesca. Só no primeiro ano do hipotético contrato de US$ 400 milhões de Harper, a equipe salvaria US$ 20 milhões em multas. No segundo ano de contrato, mais US$ 10 milhões economizados. Com o dinheiro salvo na não contratação de Arrieta (que resultaria em US$ 78 milhões em multas), por exemplo, a equipe poderia salvar US$ 108 milhões nos primeiros dois anos de contrato com Harper.

Além de Harper (foto), free agency do ano que vem terá Manny Machado (AP)

É muito dinheiro envolvido em multas, e essas possibilidades matemáticas estão assustando as equipes com “saco sem fundo”. Mais do que nunca, a free agency está extremamente quieta e os gerente gerais cautelosos. Muito disso tem a ver com dinheiro, algo que os Yankees nunca imaginassem que fosse um problema. Naturalmente, em termos de investimento agora, isso sobra espaço para times que estão bem na folha salarial e querem competir em alto nível, como é o caso do Colorado Rockies, Milwaukee Brewers, St Louis Cardinals e até mesmo Houston Astros.

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts