Na MLB, não há nada mais traiçoeiro do que amostra pequena — seja para rebatedor ou arremessador. Tirar conclusões de poucas entradas ou at bats pode ser um tiro no escuro, mesmo para jogadores já consolidados. No caso de Luiz Gohara, é preciso ser ainda mais cauteloso, pois o brasileiro tem apenas 21 anos e ontem (6) realizou a sua estreia nas Grandes Ligas. Portanto, mesmo se Gohara tivesse conseguido um no-hitter ou cedido nove corridas na primeira entrada, poucas conclusões poderiam ser tiradas da atuação.

O que fica da estreia de arremessadores na MLB, no geral, é a impressão que você tem da qualidade dos arremessos. A estreia de Gohara se encaixa perfeitamente nesse estereótipo de análise. Sua atuação, em quatro entradas completas com seis corridas cedidas e seis strikeouts, não foi muito boa, mas deixa uma pitada de otimismo por causa de sua qualidade nos arremessos.

Bola rápida afiada

Esse é de longe o melhora arremesso de Gohara, desde quando assinou com o Seattle Mariners e ainda era um adolescente de 16 anos. Com muito movimento e velocidade, na primeira entrada esse lançamento chegou a tocar 98 milhas por hora e durante sua atuação ficou entre 96 a 97 milhas.

É um arremesso muito potente, até mesmo para os padrões da MLB e Gohara mostrou que consegue mandar esse lançamento em qualquer parte da zona de strike. Esse é também o arremesso que ele mais confia, seja em contagens com três bolas ou quando ele precisa se recuperar na contagem — raramente ele não lança a bola rápida para começar o confronto.

Além disso, os quatro walks de Gohara na partida foram com contagem cheia. Aliado aos seis strikeouts, isso mostra que ele conseguiu incomodar os rebatedores do Texas Rangers na maior parte do jogo, e muito disso foi devido a sua bola rápida venenosa.

Alguns walks, como contra o pitcher adversário Miguel Gonzalez, o juiz poderia ter marcado strikeout em arremessos anteriores, pois foram lançamentos bem próximos da zona — só no último que foi torto. De qualquer maneira, walk para pitcher é algo que acontece mais com novatos e uma lição que Gohara provavelmente vai aprender para as próximas partidas.

Variação é essencial

Gohara tem três arremessos: bola rápida, slider e changeup. Ele usou a rápida em 59% dos arremessos nessa partida, a slider em 33,7% e mandou apenas nove changeups no jogo. Sendo um abridor de três lançamentos, ele tem a slider como um arremesso de strikeout que realmente funcionou no jogo — nos primeiros dois K’s, ele eliminou Shin-Soo Choo e Carlos Gomez com a slider.

Mas faltou para Gohara, principalmente na primeira corrida cedida da partida, variar um pouco mais. Diante de Elvis Andrus, o shortstop venezuelano conseguiu o home run numa contagem 3-1 após todos os lançamentos terem sido na parte superior da zona e foram arremessos de bola rápida.

Quando Gohara conseguiu mixar bem a bola rápida na parte superior com a slider cortando a zona e terminando fora do plano, ele teve sucesso e dificultou a vida dos rebatedores dos Rangers.

Slider em dia

É o arremesso de Gohara contra rebatedores canhotos, e ele mostrou isso muito bem contra os Rangers com excelente controle desse lançamento. Quando ele consegue começar a contagem na frente, isso o possibilita a lançar a slider sem receio de ser ball ou não, e para os rebatedores isso é horrível.

Contra Choo, está um exemplo perfeito. Gohara dominou com a slider desde o primeiro arremesso, e não deu chances para o adversário.

Ou seja…

Gohara mostrou muito talento com a qualidade e a velocidade de seus arremessos, e isso é um grande ponto positivo de sua estreia. O resultado não veio, mas é algo que, a esse ponto, é secundário — poucos jogadores estreiam nas Majors dominando os ataques adversários.

O brasileiro foi muito bem quando conseguiu mixar seus arremessos e dominar com a slider. Quando ele ganhar mais experiência e tiver mais confiança em lançar a slider e changeup no nível MLB, a promessa vai ser muito boa de dominar os rebatedores adversários.

De qualquer maneira, a bola rápida de Gohara é algo que vai mantê-lo nas Grandes Ligas por muito tempo — seja como abridor ou reliever. A estreia do canhoto de 21 anos mostrou mais uma vez que ele pertence a MLB.


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.