Entre as quatro grandes ligas americanas, o draft da MLB ainda segue como o mais desconhecido e “obscuro” pelo público geral — até mesmo para aqueles que seguem fielmente o melhor beisebol do mundo. Para sanar todas as suas dúvidas, mesmo sendo um veterano do draft ou um novato no assunto, trazemos neste post todos os detalhes para você ficar por dentro do evento que vai acontecer entre os dias 12 a 14 de junho.

Uma pequena história

O draft da MLB nunca foi muito popular, mas isso tem mudado nos últimos anos. Existente desde 1965, o primeiro a ser transmitido ao vivo pela TV norte-americana foi em 2007. Atualmente, acontece no Studio 42, e é transmitido ao vivo no site da MLB.

Primeiras escolhas desde 2007:

Ano

Jogador Time

2007

David Price Rays

2008

Tim Beckham Rays

2009

Stephen Strasburg Nationals

2010

Bryce Harper Nationals

2011

Gerrit Cole Pirates
2012 Carlos Correa

Astros

2013 Mark Appel

Astros

2014 Brady Aiken

Astros

2015 Dansby Swanson

Diamondbacks

2016 Mickey Moniak

Phillies

Moniak, primeira escolha do ano passado (SI)

Detalhes e tamanho

São 40 rodadas no draft da MLB, de longe o mais longo em todos esportes americanos. Cada time seleciona em cada uma das rodadas, o que torna muito grande o número de jogadores draftados. Ao todo, mais de mil atletas são escolhidos todos os anos.

Mas não são todos esses atletas assinam com as equipes draftadas — caso isso acontecesse, simplesmente não teria espaço para colocar esse pessoal todo para jogar, apesar de existir várias ligas em níveis menores. Há um prazo, que geralmente dura um mês, para o atleta assinar com a equipe que o escolheu no draft. A equipe apresenta um bônus para o jogador, e cabe a ele aceitar ou não. Caso o jogador rejeite esse bônus, ele fica inlegível para assinar com qualquer time naquele draft em questão, e só pode voltar a tentar a chance de entrar em alguma franquia da MLB no ano seguinte.

Isso é muito comum entre atletas em último ano do ensino médio. Muitos deles se inscrevem para o draft na expectativa de obter um bônus grande, ou cair no time que eles julgam ser o certo. Caso uma equipe que não é o do interesse do jogador o selecione, ou o dinheiro oferecido para assinar não seja o adequado, vários atletas optam por simplesmente rejeitar a oferta e assim entrar na universidade.

Entre os universitários de pelo menos 21 anos, mesmo em escolhas de primeira rodada não é raro ver jogadores rejeitando ofertas para tentar a sorte no ano seguinte, para assim conseguir um bônus mais vantajoso.

Um detalhe importante quanto as equipes é que não há a obrigação de escolher. Se o time achar melhor deixar uma escolha passar, é possível desistir daquela pick em questão. Não é algo raro nas rodadas finais.

Veja tambémQuase mil times e porta de entrada no draft: conheça como funciona o beisebol universitário

Ordem

Esse é um tema polêmico, que levanta muitas discussões todos os anos. É idêntico ao da NFL, não há loteria como na NBA: o time de pior campanha tem a primeira escolha no draft do ano seguinte. Agora, por exemplo, o Minnesota Twins, por ter perdido o maior número de jogos em 2016, terá a chance de selecionar primeiro. O campeão, Chicago Cubs, será o último em todas as rodadas.

Essa maneira facilita a estratégia do tank. Equipes que não ligam em perder o maior número de jogos para tentar uma escolha maior no draft, como Houston Astros e Chicago Cubs no passado recente — o que possibilitou estrelas como Carlos Correa e Kris Bryant serem escolhidos logo no topo.

Quem é legível para o draft?

Geralmente jogadores com braço muito forte que saem do ensino médio levantam dúvidas dos olheiros (Getty Images)

Não confunda o draft da MLB com a free agency internacional de prospectos, que abre no dia 2 de julho — esse é apenas para jogadores que não atuam nos Estados Unidos, Porto Rico e Canadá. No draft da MLB, o jogador precisa morar em um desses três países e atuar no ensino médio (High School), universidade (College) ou Junior College.

Detalhe é que apenas os jogadores com pelo menos 21 anos podem sair da universidade rumo ao draft — ou que estão no terceiro ano de faculdade. Isso “força” os jogadores a sair do college formados ou com pelo menos algum tempo de estudo. Por isso há um gap entre os atletas escolhidos: enquanto muitos têm 17 anos, outros têm 21 ou 22.

Jogadores que saem do Junior College não há restrição de idade, como é exemplo de Bryce Harper, que antes dos 21 anos conseguiu ser escolhido no draft.

Veja também102 milhas, 17 anos e uma mistura de Syndergaard com A-Rod. Esse é o novo mito do beisebol

Jogadores não draftados podem assinar?

Sim, mas é um cenário muito raro. Como se trata de 40 rodadas, geralmente jogadores que têm chance de ir às Majors são escolhidos nesse período. No entanto, há alguns casos de sucesso na história recente do beisebol de jogadores que passaram todas as rodadas sem ter o nome chamado e conseguiram chance na MLB. Entre eles, estão Darren O’Day (joga atualmente no Baltimore Orioles), Larry Walker (que deveria estar no Hall da Fama) e Bobby Bonilla.

Veja tambémConheça os melhores prospectos do universitário para o draft 2017

Regra do bônus

Aqui está a essência do draft. Para manter um certo equilíbrio no draft, existe um teto contratual válido para todas as equipes. Isso existe para um New York Yankees, por exemplo, não ter a possibilidade de oferecer um bônus cinco vezes maior do que o Tampa Bay Rays e ficar com o jogador — dois times que representam muito bem a disparidade financeira na MLB.

Portanto, para cada rodada há um limite de bônus distribuído para todos os times. Ou seja, a equipe precisa gastar até um valor máximo de dinheiro para cada rodada.

Diretores calculam detalhadamente cada escolha para se encaixar no plano das franquias (Fangraphs)

No total, de acordo com a ordem no draft e também com o passado das equipes no recrutamento (jogadores que não assinam no ano anterior resultam em maior bônus no ano seguinte), os times têm um teto máximo para o draft atual já definido:

Twins: $14,156,800
Reds: $13,658,400
Rays: $12,528,100
Padres: $11,839,000
A’s: $11,407,500
Brewers: $10,447,700
Pirates: $10,135,900
D-backs: $9,905,900
Braves: $9,881,200
Marlins: $9,375,500
Astros: $9,039,600
Phillies: $8,729,100
Blue Jays: $8,231,000
Angels: $8,212,800
Royals: $8,076,900
White Sox: $7,921,400
Rangers: $7,626,600
Cubs: $7,454,900
Yankees: $6,912,800
Orioles: $6,846,700
Mariners: $6,737,300
Tigers: $6,520,100
Giants: $6,363,600
Mets: $6,212,500
Dodgers: $5,794,200
Red Sox: $5,667,100
Nationals: $5,503,500
Rockies: $4,615,700
Indians: $3,829,000
Cardinals: $2,176,000

Destaque para o Minnesota Twins, que segundo a lista da MLB.com lidera os times. Equipe que também terá a primeira escolha no draft deste ano.

Esses US$ 14 milhões significam que os Twins podem gastar até esse dinheiro distribuindo seus bônus ao longo das rodadas. Caso ultrapasse esse valor, a equipe pagará multa e será penalizada no draft seguinte. No entanto, para cada rodada o time tem um valor máximo a colocar — eles não podem, por exemplo, colocar US$ 13 milhões na primeira escolha do draft e assim praticamente abrir mão do restante das rodadas.

Neste ano, assim está o bônus máximo definido para os times na primeira rodada:

1. Twins: $7,770,700
2. Reds: $7,193,200
3. Padres: $6,668,100
4. Rays: $6,153,600
5. Braves: $5,707,300
6. A’s: $5,303,000
7. D-backs: $5,016,300
8. Phillies: $4,780,400
9. Brewers: $4,570,000
10. Angels: $4,376,800
11. White Sox: $4,199,200
12. Pirates: $4,032,000
13. Marlins: $3,875,800
14. Royals: $3,727,600
15. Astros: $3,588,200
16. Yankees: $3,458,600
17. Mariners: $3,333,200
18. Tigers: $3,214,600
19. Giants: $3,101,700
20. Mets: $2,994,500
21. Orioles: $2,892,400
22. Blue Jays: $2,795,200
23. Dodgers: $2,702,700
24. Red Sox: $2,614,500
25. Nationals: $2,530,400
26. Rangers: $2,450,100
27. Cubs: $2,373,300
28. Blue Jays: $2,302,900
29. Rangers: $2,238,900
30. Cubs: $2,184,300

A equipe mais prejudicada neste draft é, certamente, o St Louis Cardinals. O time não terá a rodada da primeira rodada por ter contratado Dexter Fowler — free agent tipo A assinado na última intertemporada. Além disso, a escolha da segunda rodada também não haverá para os Red Birds, por causa de punição devido ao escândalo de hacking envolvendo o Houston Astros.

Alguns pormenores do bônus

O teto do bônus só existe nas 10 primeiras rodadas. Nas outras 30 restantes, a equipe pode oferecer o que bem entender dentro do dinheiro restante, no entanto, caso algum jogador ultrapasse os US$ 100 mil de bônus, a equipe será penalizada no ano seguinte.

Comissário da MLB, Rob Manfred, chama as escolhas das primeiras rodadas (Getty Images)

Caso algum time ultrapasse o teto do bônus em mais de 15%, por exemplo, a equipe perde duas escolhas de primeira rodada e precisa pagar a liga o valor total do bônus no jogador assinado. Isso força as franquias a respeitar na risca os pools definidos no draft, pois a punição é muito pesada.

É isso! Mais na Casa do Beisebol

Essa postagem é só o começo de uma cobertura completa do draft da MLB. Até o dia 12 de junho, quando começa o recrutamento, todos os dias vamos postar materiais completos no site.

Fique por dentro, draft é aqui.


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts