A deadline da MLB está chegando, e as loucuras do final de julho já começaram. Até a janela de transferências, no dia 31, muitas trocas ainda acontecerão e para isso nada melhor do que especular o destino dos principais atletas que estão disponíveis no mercado.

Yonder Alonso

Alonso pode muito bem ser um divisor de águas até o fim do ano (AP)

Quem diria antes da temporada começar que Yonder Alonso, um primeira base sem graça, tornaria-se um dos principais jogadores procurados na trade deadline. E Alonso tem tudo que um contender quer na deadline: está em último ano de contrato; ganha “apenas” US$ 4 milhões” e, claro, está numa ótima temporada.

Com já 21 bolinhas para o outro lado do muro e 36,7% de ocupação em base, Alonso de repente tornou-se elite na primeira base. A questão, no entanto, é a falta de versatilidade, pois só sabe atuar nessa posição. Portanto, Liga Americana como 1B ou rebatedor designado faz mais sentido para o canhoto.

Destinos mais lógicos: New York Yankees ou Minnesota Twins

Brandon Belt

Belt vem no melhor ano com a força no bastão na carreira (Getty Images)

Belt está longe de ser um jogador muito aclamado na liga, mas ele está em um time em reconstrução e há times que precisam de jogadores da característica dele — que, por sinal, são bem parecidas com a de Alonso. Por mais que Belt não venha tendo uma temporada dos sonhos, ele seria um encaixe muito bom para equipes que estão no páreo pelo título.

Destinos mais lógicos: New York Yankees ou Minnesota Twins — mesmo caso de Alonso

Jay Bruce

Em breve, Bruce pode conhecer seu terceiro time em um ano (Getty Images)

Bruce sempre foi um slugger de muitos home runs e poucas bolas em jogo, e nesta temporada vem voltando aos bons tempos. Em fim de contrato, ele está a caminho de mandar 40 bolas para o outro lado do muro. Bruce, aos 30 anos, é um péssimo defensor, mas pode ser uma alternativa interessante em um candidato ao título que precisa de um bastão no meio do alinhamento.

O New York Mets deve ser um vendedor na deadline, e não faz sentido manter um jogador como Bruce no elenco até o fim do ano.

Destinos mais lógicos: Colorado Rockies ou Kansas City Royals

Zack Cozart

Cozart vem defendendo de maneira decente, além de estar rebatendo muito bem (MLB.com)

Certamente um dos jogadores mais cobiçados da deadline, Cozart vem em um ano de All-Star em 2017. Outro veterano em fim de contrato, Cincinnati não teria motivos para segurá-lo com o possível pacote de bons prospectos que precisariam para negocia-lo.

Cozart é um rebatedor que se encaixaria como uma luva no Arizona Diamondbacks, e muito provável que a equipe faça uma investida nele.

Destinos mais lógicos: Colorado Rockies ou Tampa Bay Rays

Lucas Duda

Duda ainda não vingou todo potencial (AP)

Outro rebatedor canhoto de força, parece que Duda nunca esteve saudável por muito tempo na carreira. Só que, de maneira quieta, ele vem tendo uma temporada animadora com wRC+ de 219. Duda se encaixa, basicamente, no mesmo caso de Belt e Alonso. É um primeira base canhoto sem mobilidade, perfeito para a Liga Americana.

Destinos mais lógicos: New York Yankees ou Minnesota Twins

Scott Feldman

Feldman não é nada de espetacular, mas pode ser um bom “operário” (Getty Images)

Feldman chegou ao Cincinnati Reds, no começo do ano, como um tampão numa rotação lotada de pirralhos e também como uma oportunidade de negociá-lo na deadline. Em contrato de apenas uma temporada, o veterano de 34 anos tem sido um abridor muito sólido. Claro que Feldman não vai ser o jogador que vai carregar um time em outubro, mas pode ajudar a chegar até lá.

Destinos mais lógicos: Milwaukee Brewers, New York Yankees Cleveland Indians

Sonny Gray

Gray ainda tem muito valor no mercado (AP)

Mais uma vez o nome de Gray aparece na deadline. O Oakland Athletics tem controle do destro até o fim de 2019, e não tem pressa para negocia-lo. Apenas times de grande categoria de base teriam bala na agulha para contrata-lo, mesmo Gray não estando na sua melhor forma.

Destinos mais lógicos: Milwaukee Brewers, New York Yankees ou Seattle Mariners (favorito na corrida)

Brad Hand

Hand ganhou um fôlego em San Diego (MLB.com)

Dizem que reliever canhoto é igual dinheiro: nunca é ruim ter muito. Hand se reinventou na carreira jogando em San Diego, e vem de uma grande temporada que foi coroada com o All-Star Game. Simplesmente não faz sentido os Padres mantê-lo no time, e ele será facilmente negociado — assim como Trevor Cahill foi. E muitos times precisam de alguém como Hand.

Destinos mais lógicos: Washington Nationals, Milwaukee Brewers, Colorado Rockies e Tampa Bay Rays

AJ Ramos

Nos Marlins, Ramos domina a nona entrada há tempos (AP)

Ramos foi um dos melhores fechadores da liga nos últimos dois anos e, apesar da subida no ERA em 2017, ele ainda é um jogador de muitos strikeouts que pode ser eficiente em muitas equipes. Miami ainda não decidiu se vai ser um legítimo vendedor na deadline, mas provavelmente um bom negócio tiraria Ramos da Flórida — independentemente da atitude do time nesta deadline.

Destinos mais lógicos: Washington Nationals, Colorado Rockies e Houston Astros

Pat Neshek

Neshek não passa da deadline com a camisa dos Phillies (Getty Images)

Neshek continua sua grande corrida rumo ao estrelato depois de veterano. O reliever, que tem uma mecânica nada convencional, vem num ano espetacular e está como uma estrela solitário nos Phillies. Assim como Hand nos Padres, não faz sentido o time manter Neshek nesse caso. Certamente será negociado.

Destinos mais lógicos: Washington Nationals, Colorado Rockies, Boston Red Sox e Houston Astros


Comentários? Feedback? Siga-nos no twitter em @casadobeisebol e curta-nos no Facebook.

About The Author

Editor-chefe da Casa do Beisebol, entre 2015-2017 ocupei a mesma função no Segunda Base, além de ter trabalhado como administrador e fundador do Spinball Net entre 2011 a 2016. Ainda com passagem pelo ExtraTime. Respiro beisebol 24 horas por dia, também sou tipster e apostador profissional no Quero Apostar.

Related Posts